Casagrande condenado

de olho 1_740x555

 

Os/as Trabalhadores/as têm de ser respeitados no seu ambiente de trabalho e não podem ser vítimas de assédio de forma alguma. Todo assédio, quer seja moral quer seja sexual, é crime e tem de ser denunciado… seja praticado por quer que seja no âmbito do local de trabalho.

 

Quando tomou conhecimento por denúncias sobre a prática de assédio moral e sexual contra os/as trabalhadores/as no Supermercados Casagrande praticado por superiores hierárquicos, a diretoria do SINDEC imediatamente alertou oficialmente aos representantes da empresa sobre o fato. Entretanto, nenhuma providência foi tomada porque a prática do assédio moral e sexual continuou na empresa – principalmente contra as mulheres funcionárias.

 

A situação se agravou, os assédios aumentaram para desespero dos/as funcionários/as. A diretoria do SINDEC, então, encaminhou as denúncias ao Ministério Público do Trabalho que entrou com as Ações Civis Públicas por assédio moral e sexual contra o Casagrande na Justiça do Trabalho. A empresa foi condenada a pagar R$ 125.000,00 como indenização à sociedade pelo período que manteve tais práticas. No acordo, a empresa se obriga a combater a prática da violência psicológica, o assédio moral e sexual, no seu ambiente de trabalho.

 

Mas não foram só essas ações do Ministério Público do Trabalho. O Casagrande já tinha sido condenado por outras ações (transitadas em julgado, na Justiça do Trabalho) que, por orientação do sindicato, foram impetradas diretamente pelos trabalhadores que obtiveram a vitória. Outras ações de trabalhadores na Justiça do Trabalho contra a empresa aguardam julgamento.

 

A diretoria do SINDEC entende, na prática, que o sindicato de trabalhador é um instrumento de lutas, de conquistas e de afirmação dos trabalhadores, da sua categoria, quer seja na conquista dos direitos, quer seja na luta pela manutenção dos direitos – para que as empresas os respeitem – quer seja denunciando os abusos, os assédios moral e sexual, praticados por superiores hierárquicos contra trabalhadores. Essas são as razões que definem a importância do sindicato como instrumento de lutas pela garantia dos direitos dos trabalhadores. E é assim que tem de ser.

Tel.: 73 3291.2849
Rua Mauá, 54 - Teixeira de Freitas - Bahia
sindectf@uol.com.br