3º Congresso da UGT Bahia reelege o sindicalista Magno Lavigne

foto 1_740x400

 

O auditório cheio, a participação popular e muitos debates políticos e sindicais deram o tom ao 3° Congresso Estadual da União Geral dos Trabalhadores (UGT), realizado em 27 de março em Salvador.

 

Comerciários, trabalhadores rurais, servidores públicos (municipais, estaduais e federais), securitários, rodoviários, técnicos em segurança e profissionais do terceiro setor reelegeram o sindicalista Magno Lavigne, candidato participante de chapa única e incontestável aceitação geral.

 

foto 3_740x400

 

Participou da composição da mesa lideranças sindicais e políticas, entre elas, o presidente da FECOMBASE, Marcio Fatel, que na oportunidade foi também reeleito junto com a diretoria na função de Secretário Financeiro, o presidente da UGT Nacional, Ricardo Patah, a presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis da Bahia (Sindimóveis), Eliane Freitas, a presidente do SEC Camaçari, Dias d´ Ávila e Região, Maria Nilda e o Secretário Geral da UGT Nacional, Canindé Pegado.

 

Representações de Teixeira de Freitas no Congresso

 

Estiveram presentes no Congresso, representando o SINDEC que é filiado à UGT, os diretores Nelson Almeida Santos, Gilvane dos Santos Dias e José Carlos Cabral de Carvalho – presidente do SINDEC. José Carlos foi eleito para a Vice Presidência da UGT Bahia – categoria dos comerciários.

 

Os direitos dos Trabalhadores em debate no 3º Congresso  

 

A crise econômica, o combate à corrupção e à retirada de direitos dos trabalhadores foram temas recorrentes nos debates e praticamente abordados em todas as falas. O congresso contou com excelentes palestras, como a do professor Erledes Elias Silveira e do economista, Eduardo Rocha. Na oportunidade, também foi aprovada uma moção de apoio aos trabalhadores do Derba.

 

Reeleito presidente estadual da UGT, Magno Lavigne, que compôs a única chapa da disputa, com apoio unânime dos presentes, avaliou o desaquecimento da produção e a queda dos empregos especialmente em grandes obras públicas como o Estaleiro do Paraguaçu e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). “Os trabalhadores não irão pagar por esta crise”, completa.

 

“Somos uma das centrais que mais crescem no Brasil e não é atoa, em salvador representamos 110 entidades que confiam no trabalho da UGT e por isso reelegem hoje essa diretoria. Eu como representante dos Comerciários na Bahia e no âmbito da UGT, no Brasil também, tenho imenso orgulho de trabalhar ao lado de Magno Lavigne, porque confio”, declara Marcio Fatel.

 

O Secretário estadual do Trabalho, em exercício, Jorge Wilton, representando o Governo do Estado, disse que o papel dos sindicatos e dos trabalhadores neste momento é de levantar a bandeira de “nenhum direito a menos”. E acrescentou: “temos sim, que avançar pelo lado social e dar uma resposta aos que querem o retrocesso”.

 

O Presidente nacional da UGT, Ricardo Patah se coloca contrário às duas medidas provisórias do governo federal, As MPS 664 E 665, lançadas no final de dezembro, Que estipulam uma série de alterações nas regras do Seguro-Desemprego, Abono Salarial, Seguro-Defeso, Pensão por Morte, Auxílio-Doença e Auxílio-Reclusão, e que tramitam no Congresso Nacional. “É um equívoco estratégico, que deve ser reparado já”, completa Patah.

 

foto 2_740x400

 

Fonte: Site da FECOMBASE

Tel.: 73 3291.2849
Rua Mauá, 54 - Teixeira de Freitas - Bahia
sindectf@uol.com.br