UGT: E a vaca tossiu contra os trabalhadores

anamatra_740x400

 

 

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) expressa seu receio de que o impacto das medidas anunciadas pelo governo traga grandes prejuízos aos trabalhadores, com o intuito de frear as despesas com benefícios trabalhistas, justamente quando é esperada a alta do desemprego, em razão da debilidade econômica do País.

 

O início do ano é o pior momento para a adoção dessas medidas. Nesse período em que é maior a vulnerabilidade do trabalhador do comércio e dos serviços, atividades que ainda estavam dinâmicas e gerando empregos, as consequências podem ser danosas.

 

O aumento do tempo de contribuição para obter o seguro-desemprego e a limitação do auxílio a pescadores, cujos a maioria dos sindicatos integram a central, certamente trará enormes prejuízos aos trabalhadores. A preocupação cresce na medida em que o corte do benefício é anunciado em quadro de inflação alta, desemprego ameaçador e quando o trabalhador mais precisa.

 

Durante a campanha eleitoral a presidenta Dilma Rousseff afirmara que, caso reeleita, não faria mudanças na legislação em prejuízo aos trabalhadores “nem que a vaca tussa”. Com a Medida Provisória anunciada ao apagar das luzes de 2014, parece que a vaca tossiu. Cabe, agora, aos trabalhadores, buscarem o xarope adequado para curar a tosse da vaca. E o mais adequado, nesse momento, será fazer pressão no Congresso para colocar em votação e derrubar o veto presidencial pelo Fim do fator Previdenciário.   É em torno dessa e de outras medidas que os trabalhadores estarão unidos em defesa dos seus direitos.

 

Fonte: site da UGT Nacional

Tel.: 73 3291.2849
Rua Mauá, 54 - Teixeira de Freitas - Bahia
sindectf@uol.com.br